Seguindo o mesmo ensinamento do fundador da prática, Usui Sensei, o Reiki Ryoho possui três níveis: Shoden, Okuden e Shinpiden. Os dois primeiros são os graus de praticante, já o terceiro é o grau de sensei (professor) do Reiki Ryoho.

Não há pré-requisito para se tornar um praticante de Reiki Ryoho, todas as pessoas são bem vindas à prática. No entanto, há uma regra: você precisa do acompanhamento de um sensei, que lhe dará o Reiju e lhe ensinará o Shin Shin Kaizen Usui Reiki Ryoho. A tradição da nossa prática não trabalha com a autoaprendizagem do método!

O shoden (den = ensino; sho = principiante) é o início da caminhada no Reiki Ryoho. É nesse nível que você terá acesso aos conhecimentos básicos da prática para dar os seus primeiros passos no método. Nesse grau, pontos fundamentais, alicerces da nossa prática serão ensinados. Esse conhecimento é para ser guardado com carinho, e desde o início é bom usá-lo no dia-a-dia.

O próximo passo é o okuden (den = ensino; oku = faz referência a um conhecimento mais “interior” e mais “profundo”). Nele, o foco está no nível psicológico e nas técnicas que envolvem os símbolos do Reiki Ryoho.

Caso sinta que precisa dar mais um passo no seu desenvolvimento na prática, o próximo nível é o shinpiden ((den = ensino; shinpi = faz referência a um ensino “misterioso” ou “místico”). O mistério a que o nome sugere aponta para um conhecimento de grande valor. É nesse nível, que o praticante recebe o título de Shihan (aquele que dominou um conhecimento ou uma arte), podendo exercer, caso queira, a função de Sensei (professor).

A trajetória do praticante do Reiki Ryoho é linda, cada nível uma descoberta e um aprofundamento. Com o passar dos graus, o praticante se torna, cada vez mais, unido ao Reiki.

Para conhecer o conteúdo programático de cada grau do Reiki Ryoho, só clicar nos links a seguir: Shoden, Okuden e Shinpiden.

Gassho,
Nilton Magalhães
(Sensei do Reiki Ryoho)

Obs.: no Reiki ocidental há ampla variação quanto aos graus. Alguns sistemas dividem a formação em três, outros em quatro níveis. O sistema Usui/Tibetano, que talvez seja o mais conhecido sistema de Reiki ocidental, divide o Reiki em quatro níveis: I, II, III-A e III-B. Sendo o III-B o nível de “mestre”.

Essa divisão do nível III no Reiki ocidental se deu com a alegação de trazer ao nível de praticante (III-A), o uso do símbolo 4, o Dai Koo Myo. No entanto, esse símbolo não é usado na prática tradicional, ele foi inserido na prática do Reiki por volta das décadas de 70 e 80, nos Estados Unidos, por um aluno de Takata Sensei, portanto 60 anos após a descoberta do Reiki. Mesmo sendo muito interessante o significado desse símbolo, a Usui Reiki Ryoho Gakkai não reconhece o Dai Koo Myo e não estabelece a divisão do Reiki Ryoho em III-A e III-B; assim como também não reconhece o título de “mestre”. Sendo assim, um praticante que chega ao último grau do Reiki, o Shinpiden, passa a ser chamado de “Shihan” (aquele que dominou um conhecimento ou uma arte), podendo exercer, caso queira, a função de “sensei” (professor).

Sobre o autor

Professor do Usui Reiki Ryōhō e de práticas integrativas tais como Florais de Bach e Bioeletrografia, há mais de 10 anos. Graduado em Letras-Português. Estudante de Psicologia.

Você também pode gostar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: